BLOG DO LEONIDES

SUDENE continua esquecida pelo Governo Lula

Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

A Lei de criação da SUDENE de nº 125, publicada no Diário Oficial de janeiro de 2007, completa o seu primeiro ano sem que o Governo tenha adotado providências para instalar a Instituição e, o pior, nem mesmo nomeou os seus dirigentes.
 
O Ministério Público Federal, preocupado com a desorganização institucional decorrente da extinção da ADENE e não entrada em funcionamento da SUDENE, acionou a justiça e conseguiu uma decisão determinando que os ex-dirigentes da ADENE assumissem a responsabilidade de praticar atos administrativos, procurando assim resguardar o patrimônio público e o interesse coletivo.
 
O estranho em tudo isso é a ausência da classe política do Nordeste no encaminhamento da solução de um problema da maior importância para a Região. Pode-se até inferir que o Governo Federal não tem interesse no funcionamento da SUDENE e, a conclusão teria uma lógica, porque o efetivo funcionamento da Instituição significará uma reorganização da classe política, representada por onze governadores que, bimestralmente, estariam reunidos analisando problemas e oportunidades da Região e exigindo soluções das diversas instâncias federais.
 
Na verdade, para o Governo, é muito mais fácil e cômodo negociar com cada governador, isoladamente, do que enfrentá-los em grupo, principalmente considerando que no Conselho Deliberativo da SUDENE estarão alguns governadores que não estão alinhados necessariamente com a base política do Governo, como é caso do Governador Aécio Neves de Minas Gerais.
 
Ademais, em muitos casos, os próprios governadores que apóiam o Governo poderão ter posições divergentes com instâncias do Governo Federal, o que não é desejado pelo Palácio do Planalto. Infelizmente as lideranças do Nordeste acompanham esse quadro em absoluto estado de letargia, com uma passividade impressionante, como se os procedimentos adotados pelo Governo Federal traduzissem em toda a sua extensão os verdadeiros interesses do Nordeste.
 
A Transposição das águas da bacia do Rio São Francisco arrasta-se sem que exista um fórum institucionalizado para discutir as diversas etapas do seu processo de implantação. Não é diferente a situação da Transnordestina, tratada de forma segmentada e setorializada, sem a existência de um grupo global capaz de construir consensos e facilitar o processo operacional. Publicam-se resultados da execução do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sem que a sociedade nordestina tenha a chance de acompanhar tecnicamente os resultados e, não se compreende porque, a região Nordeste continua passiva, passividade que deixou de existir nos idos de 1960 quando o Presidente Juscelino Kubitschek, criou a SUDENE e a entregou ao economista Celso Furtado.
 
Indiscutivelmente, o Nordeste tem lideranças políticas expressivas, na base do Governo, como o Ministro José Múcio Monteiro, o Vice-Presidente da Câmara Inocêncio Oliveira, o Presidente do Senado Garibaldi Alves e o Presidente da Confederação Nacional da Indústria Deputado Armando Monteiro Neto, sem contar o próprio Presidente Lula que nasceu em Pernambuco, embora tenha sido criado em São Paulo, o que foi bom, porque somente assim chegou a Presidência da República.
 
Acorda Nordeste!! Porque as coisas estão acontecendo no mundo e no País, e não podemos continuar deixando o bonde passar, apenas olhando o seu transcurso como se estivéssemos apenas na estação.

Email | Comentários (0)












Voltar
Endereço: Rua Leonardo Bezerra Cavalcante
672 - Recife - PE CEP: 52060-030 | Fone: (81) 3268-9644 / 3441-9478

© 2012 INAD. All Rights Reserved
Website desenvolvido pela Unu Soluções