BLOG DO LEONIDES

ADMINISTRAÇÃO: OBSTÁCULO AO DESENVOLVIMENTO

Segunda-feira, 21 de Junho de 2010

 

          Afirma-se constantemente que programas e projetos são aprovados e apresentados a sociedade como instrumentos para melhorar a qualidade de vida da população, entretanto um percentual elevado não é executado, ou a operacionalização é lenta, não permitindo que as metas e os objetivos sejam alcançados, no tempo projetado.

 

            Um dos exemplos mais recentes é o relativo ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado em janeiro de 2007 e, no décimo relatório apresentado pelo Governo, relativo ao primeiro quadrimestre de 2010, foi informado que a execução atingiu 46%, o que, no universo brasileiro, pode ser considerado aceitável.

 

            O preocupante quando se analisa um programa dessa natureza, reside no fato do PAC, relacionar um conjunto de obras importantes para o país, consequentemente, precisa ser implementado em tempo hábil. Infelizmente, os mecanismos operacionais não são estudados e definidos adequadamente na fase de concepção e aprovação dos programas e projetos, sendo a definição dos mecanismos operacionais e a adoção das providências, transferidas para a fase de execução, gerando atrasos irrecuperáveis.

 

            Ressalte-se que esse tipo de comportamento não ocorre somente no Brasil, pois, é uma variável presente nos países em desenvolvimento, sendo muito mais um problema cultural, cujas modificações demandam tempo.

 

            No Brasil, atualmente, existem 36 ministérios ou secretarias, em nível ministerial, entretanto não existe nenhum ministério ou secretaria para tratar de planejamento institucional, administrativo e processos, estes últimos voltados para a racionalização de fluxos e modernizações de normas e procedimentos.

 

Alternativas de Soluções

 

            Nos trabalhos realizados pelo Instituto Nacional de Administração para o Desenvolvimento (INAD), ficou cada vez mais evidente o descompasso entre a concepção dos programas e projetos e a etapa de operacionalização, como também, ficou claro que a lentidão da execução, decorre, fundamentalmente, do fato de leis, inter-relacionamentos horizontais e verticais entre as organizações, e ainda, o dimensionamento dos quantitativos de pessoal requerido pelo projeto, com as respectivas qualificações, tudo isso tratados na fase de execução, quando as definições e aprovações deveriam acontecer durante a elaboração dos programas e projetos.

 

            O aumento da velocidade na execução dos programas e projetos poderá ocorrer na medida em que os administradores participem da fase de elaboração dos programas, pois, assim, os aspectos operacionais seriam analisados e definidos nessa fase, fazendo com que, os executores iniciem a operação sem ter de definir mecanismos, considerando que eles foram estudados, conjuntamente com as equipes formuladoras da programação.

 

            Administradores Planejadores e Administradores Racionalizadores

 

            Aumentar o ritmo da execução dos programas e projetos exigirá, como foi demonstrado, que os administradores participem das equipes interdisciplinares, na fase de concepção dos programas e projetos, entretanto, haverá necessidade dos administradores possuírem especialização na área de planejamento institucional e administrativo, porque somente assim terão condições de atuar dentro de uma filosofia de antecipação, consequentemente, em condições de contribuir para definições de mecanismos operacionais compatíveis com os objetivos e metas da programação.

 

            A participação nas equipes interdisciplinares exigirá domínio nas técnicas de planejamento, ou seja, elaboração de diagnósticos, prognósticos, estabelecimento de objetivos, fixação de metas, definição de estratégias, estimativa de recursos, montagem de mecanismos operacionais, acompanhamento, controle e avaliação, para que possam contribuir com os demais profissionais, na formulação dos programas, estabelecendo objetivos e fixando metas institucionais e administrativas, compatíveis com a necessidade de operacionalização dos programas e projetos.

 

            Historicamente os administradores são formados para serem racionalizadores de processos, dentro de objetivos, visando reduzir fluxos operacionais e, na evolução das técnicas administrativas, como modernizadores, porém, precisam atuar cada vez mais como planejadores, ou seja, antecipadores.

 

            A melhoria efetiva da operacionalização dos programas e projetos dependerá diretamente da participação dos administradores, na fase de concepção da programação e, para isso, além do domínio das técnicas de racionalização e modernização precisam ser especialistas em planejamento institucional e administrativo.


Email | Comentários (0)












Voltar
Endereço: Rua Leonardo Bezerra Cavalcante
672 - Recife - PE CEP: 52060-030 | Fone: (81) 3268-9644 / 3441-9478

© 2012 INAD. All Rights Reserved
Website desenvolvido pela Unu Soluções