BLOG DO LEONIDES

REDUÇÃO DAS TAXAS DEJUROS: SOLUÇÕES TÉCNICAS DISPONÍVEIS

Quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

 

A orientação básica das autoridades brasileiras é no sentido de manter controle sobre o processo inflacionário, através da busca permanente do equilíbrio entre a oferta e demanda. O fundamental, em tal situação, é não permitir o aumento da demanda sobre a oferta, para evitar o crescimento dos preços.

 

Na fundamentação do Plano Real, fica claro a importância da busca do equilíbrio, entretanto, os instrumentos a serem utilizados, precisam ser de natureza estrutural e monetária.

 

A falta de um Projeto Nacional de Desenvolvimento, que estabeleça objetivos e metas globais, capazes de uma efetiva produtividade do Sistema Econômico, leva as autoridades a priorizar programas e projetos, as vezes, importantes, entretanto, nem sempre guardam correlação com a programação global, tornando os investimentos menos produtivos.

 

Políticas Monetaristas

 

Uma das alternativas para manter o equilíbrio entre oferta e demanda, encontra suporte na teoria monetarista, através da qual, são utilizadas políticas financeiras para reduzir demanda.

 

A manutenção de elevadas taxas de juros e a redução de crédito, tanto para pessoas físicas, como jurídicas, são instrumentos que favorecem a redução da demanda, consequentemente, tende a manter o nível de preços. A redução do crédito cria dificuldades para a economia porque não permite a expansão do mercado interno além, de influir, diretamente, na estrutura de custos das empresas. Por outro lado, as elevadas taxas de juros provocam retração do mercado, aumenta os custos de produção e, na conjuntura atual, estimulam a atração de moeda estrangeira para o País, criando dificuldades para o setor exportador pela valorização do real, fato que desestimula as exportações pela redução dos preços internacionais.

 

As políticas monetaristas são importantes, na medida em que elas apresentam facilidades operacionais, são mais facilmente entendidas pela sociedade e, ainda, apresentam resultados de curto prazo. O Banco Central do Brasil adota, intensamente, esse tipo de instrumento para alcançar o controle da inflação nos limites do Sistema de Metas.

 

Políticas Estruturalistas

 

As alternativas de políticas estruturalistas implicam em alterar as variáveis macroeconômicas de forma a produzirem resultados com alto grau de permanência na economia.

 

No caso das taxas de juros, uma política estruturalista concentraria os seus esforços no aumento da capacidade produtiva de áreas estratégicas, como calçados e tecidos, procurando, simultaneamente, reduzir o chamado Custo Brasil, que onera, substancialmente, os custos de comercialização em decorrência da falta de portos modernos, aeroportos e estradas. O financiamento de máquinas e equipamentos modernos, objetivando o aumento da produtividade tende a reduzir custos, aumentando, em consequência, a competitividade dos produtos no mercado internacional, compensando a valorização do real, em consequência da perda de valor do dólar. Ao lado dos investimentos, visando o aumento da produtividade, haverá necessidade de racionalizar os processos burocráticos que provocam demoras e aumentam custos.

 

Pode-se afirmar que os projetos governamentais provocam melhorias, entretanto, poderiam ser bem mais rentáveis, se estivessem inseridos no contexto de um Projeto Nacional de Desenvolvimento, que não existe no Brasil.

 

Conclusões

 

Os investimentos voltados para aumentar a capacidade produtiva da economia representam o instrumento adequado para iniciar um processo sustentável de redução das taxas de juros, considerando que o aumento da produção tenderia a manter o equilíbrio entre oferta e procura, assegurando assim, o balanço entre as duas variáveis, consequentemente, criando condições para ajustes permanentes dos preços, fato que não conflitaria com o aumento do poder aquisitivo, permitindo, em decorrência, a redução das taxas de juros.


Email | Comentários (0)












Voltar
Endereço: Rua Leonardo Bezerra Cavalcante
672 - Recife - PE CEP: 52060-030 | Fone: (81) 3268-9644 / 3441-9478

© 2012 INAD. All Rights Reserved
Website desenvolvido pela Unu Soluções